Saber a Mar

Saber a Mar

Tenho por aconchego
os contornos da aurora,
Ao lado pousei os sonhos 
sobre o silêncio que dorme.

Um a um entre lençóis
os pássaros desfazem o dossel
e vêm beber do córrego
A água dos dedos com que dedilho e canto.

Depois quando a noite chegar
serei de novo o teu amante
a perder-me
pelas ruas do teu corpo.



in Poiesis, IV – Editorial Minerva, 2000, p. 215.
2000 © Copyright Vítor Casado
Foto: pixabay.com


Comentários